Fiat Cronos chega ao mercado para ser referência entre os sedãs compactos

Faltando pouco para ser lançado, o novo sedã da Fiat chega ao mercado tentando alcançar o topo da categoria. Confira detalhes.

Fotos: Divulgação Fiat | Texto: Raphael Panaro | Adaptação web Renê Saba

Compartilhe esse conteúdo

 

Sim. O Fiat Cronos é concorrente do Volkswagen Virtus e, inevitavelmente, as comparações vão existir.  A Fiat tira o Volkswagen Virtus da briga baseada em um aspecto: o porte. O projeto X6S, como era conhecido o Fiat Cronos até então, é derivado do Fiat Argo, um hatch compacto. Assim, a marca vai se concentrar no andar de baixo do segmento dos sedãs. Com 4,36 metros de comprimento e mesma distância entre-eixos do Fiat Argo (2,52 m), o Fiat Cronos se distancia do Volkswagen Virtus (4,48 m e 2,65) e se aproxima do Chevrolet Prisma (4,23 m e 2,53 m), Hyundai HB20S (4,23 m e 2,50m) e Toyota Etios Sedan (4,26 m e 2,55).

Segundo a Fiat, o Cronos não é o Fiat Argo com volume a mais. Se você também pensa assim, eu diria que você está 30% certo. Essa é a porcentagem da estrutura que o sedã aproveita do hatch - e ainda do finado Fiat Punto. Claudio Demaria, responsável pela engenharia, afirma que os outros 70% são componentes novos. A plataforma MP1 está lá no novo carro da Fiat, mas o Cronos ela ganha o batismo de MP-S. A mudança no nome reflete o emprego de 55% de aço de alta resistência, 25% de ultra e 10% de hot stamping. O uso desses materiais aliado à otimização na geometria das peças deixam o sedã apenas 10 kg mais pesado que o Fiat Argo e com a rigidez necessária para não pendular demais nas curvas. Para-choque, capô teto e toda parte da coluna B para trás são únicos.

A arquitetura aliada ao novo tunning de suspensão deixa o Cronos bem balanceado. Durante o test-drive os jornalistas puderam sentir na prática a diferença frente aos concorrentes. A Fiat colocou à disposição um exemplar do Chevrolet PrismaHyundai HB20S e Etios Sedan. Em uma pista de testes, o comportamento do Cronos é mais equilibrado e previsível que os rivais em mudanças drásticas de direção. Você sabe exatamente para onde a traseira está indo. Os outros carros também mudam de direção rapidamente, mas com um toque a mais de dramaticidade. 

O porta-malas, por sua vez, tem 525 litros - ganha do Virtus (521 litros) e só perde para o Etios Sedan na categoria (562 litros). Sem mexer no entre-eixos, a Fiat afastou o banco traseiro 10 mm para trás. Pode parecer pouco, porém abriu mais espaço para as pernas. Ocupantes com mais de 1,80 m se acomodam bem ali. E a cabeça não fica raspando no teto.

Você vai perceber logo de cara que a dianteira do sedã é bem parecida com a do Argo, mas existem diferenças ali, ao contrário do Volkswagen Polo e Virtus, gêmeos univitelinos. Os faróis afilados com LEDs e a grade em colmeia estão lá. Mas agora há um friso cromado ligado ao logotipo (somente nas versões mais caras) e o para-choque é mais bojudo - para dar impressão de maior largura do carro. As luzes de neblina também têm nova disposição e uma moldura preta. O capô mais avantajado dá um aspecto musculoso e robusto ao sedã. Bonito.

1.3 e 1.8. Nada de 1.0

De perfil, as proporções chamam atenção. O Fiat Cronos é bem distribuído, a traseira não é muito espichada e alta, e a dianteira mergulha. As lanternas avançam pela lateral e pelo porta-malas numa estética moderna. Diferentemente do Volkswagen Virtus, que parece um Audi ou qualquer outro Volkswagen

Mas não adianta nada ter um belo desenho e custar caro. Aí que o Fiat Cronos entra no radar do Volkswagen Virtus e cia. Até o fechamento da edição, a Fiat não bateu o martelo sobre os preços do seu carro novo. Disse apenas que os valores serão de R$ 3 mil a R$ 4 mil a mais que as etiquetas praticadas nas mesmas versões do Fiat Argo

Isso quer dizer que a configuração de entrada Drive, que vem com quatro cilindros 1.3 Firefly de 109 cv e transmissão manual sairá por cerca de R$ 58 mil - não haverá motorização 1.0. Entre os itens de série, destaque para o multimídia com tela de 7 polegadas, volante multifuncional, segunda porta USB, ar-condicionado, direção elétrica, vidros elétricos dianteiros, display TFT no cluster de 3,5 polegadas e monitoramento de pressão dos pneus. 

Essa configuração pode vir com a transmissão automatizada GSR, a.k.a Dualogic Plus, que estimamos em R$ 64 mil. Além da ausência do pedal de embreagem, o Fiat Cronos ganha os controles de estabilidade e tração, hill holder, sistema start/stop e controle de cruzeiro. 

Na faixa de preço mais acima, perto dos R$ 66 mil, o Fiat Cronos Precision passa a ter 1.8 E.TorQ Evo, um motor não exatamente moderno, de 139 cv e 19,3 mkgf - o mesmo do Jeep Renegade. Vem com câmbio manual, rodas de liga leve de 16 polegadas, faróis de neblina, vidros elétricos traseiros e sensor de estacionamento. 

Perto dos R$ 75 mil, está o que de melhor o Cronos tem a oferecer. A Precision AT6 traz câmbio automático de seis marchas no volante, além de maçanetas e frisos das portas cromados. 

Fiat bem que tentou tirar o Volkswagen Virtus do radar do Cronos, mas nós, na próxima matéria sobre os dois carros novos das montadoras, colocaremos ambos frente a frente. Quem leva a melhor?

 



Comentários