Testamos o Mercedes AMG E63 S, o V8 que acelera 612 cavalos





Testamos o Mercedes AMG E63 S, o V8 que acelera 612 cavalos

Descubra o impulso frenético estimulado por adrenalina em acelerar um Mercedes AMG e63 S

Fotos: Divulgação/Mercedes-Benz | Texto: João Anacleto | Adaptação web Renê Saba

Compartilhe esse conteúdo

Desde o lançamento deste Mercedes AMG E63 S, só havíamos tido a chance de acelerá-lo em autódromos, estradas de longas retas e poucas curvas. E só em território europeu. Contudo, o grande dia chegou. Enfim, levei-o à realidade que você, e eu, temos na hora de desfrutar de um carro esportivo rodando na vida como ela é. Na realidade brasileira.

E dá medo. Não pelos problemas sociais e o risco que se corre rodando com um carro de R$ 736 mil por aqui. Nem entro nesse mérito. Dá medo pelo tanto que ele consegue se distinguir e assustar. E ainda que por fora ele dê apenas uma salpicada do que é capaz, com rodas de 20”, detalhes de fibra de carbono nos para-choques e na tampa do porta-malas, e quatro grandes grandes saídas quadradas de escapamento, nem de longe revela seus poderes apenas de olhá-lo. Assim como o medo, você deve sentí-lo.

E nem é pelo urro acompanhado da patada de quase 87 mkgf a cada uma das nove marchas. É mais por tentar fazer a conta de como 1.955 kg podem ir de nada a muito em tão pouco tempo. Com a tração nas quatro e o modo Sport Plus ativado, ele sai de 0 a 100 km/h em 3,4 s – um 911 GTS leva 3,5 s –, e se você retomar dos 100 km/h até os 200 km/h, ele continua parecendo estar parado e não leva nem 6 segundos. Sinceramente, este Mercedes AMG 63 S parece ter mais que os seus 612 cv e nem de longe se supõe que o seu V8, apesar dos dois turbos, tem apenas 4 litros.

Leia mais: Mercedes lança carro esportivo para concorrer com o Porshe Panamera
Leia mais: Mercedes-Benz deve lançar novo Classe A no Brasil em 2019
Leia mais: Mercedes-Benz amplia oferta do Classe E no Brasil com a versão Cabriolet

Por dentro há bancos confortáveis do Mercedes AMG E63 S, sem estilo concha ou plasticos nas laterais. Neles você pode sentar com a carteira no bolso que não vai se sentir como se estivesse sendo molestado. O ambiente é cercado de detalhes de foilha de madeira, couro digno de estar no trono da Dinamarca e um conjunto de possibilidades de luzes de LEDs para iluminar o interior que o levam a um lado mais espalhafatoso, coisa que não é do feitio da Mercedes-Benz. Lá atrás há espaço para quatro adultos. O quinto, sentado no meio, sofrerá com a altura e largura do túnel. Mas vê tudo de frente.

Mercedes AMG

Ele ainda traz sistemas de asistência a condução, freia sozinho, acelera sozinho até 210 km/h. E também pode fazer ultrapassagens. Mas não testei esses modos. Devo confessar que estes, sim, me dão um medo ruim. Afinal você gasta tanta grana com algo tão prazeroso e não vai querer guiar. Se sim, tem medo, vá fazer uma análise.

Preço: R$ 735.990
Motor: Dianteiro, longitudinal, 4.0, V8, biturbo
Potência: 612 cv entre 5.000 e 6.250 rpm
Torque: 86.7 mkgf entre 2.500 a 4.500 rpm
Transmissão: Automático, 9 marchas, tração integral
Suspensão (D/T): Multlink/Multlink
Freios (D/T): Discos ventilados
Rodas e Pneus (D/T): 265/35 R20/30 R20
Dimensões: 4,99 m (comprimento) / 2,94 m (entre-eixos) / 1,46 m (altura) / 1,91 m (largura)
Peso: 1.955 kg
Porta-malas: 540 litros
Tanque: 66 litros

Quer conferir a análise completa do Mercedes AMG E63S? Garanta já o seu exemplar da edição 123 da Revista Car and Driver. Seja um assinante e receba conteúdo exclusivo em sua casa. Assinatura: goo.gl/gK8F2Q

 

 



Comentários