Ayrton Senna: relembre seis momentos marcantes na carreira do piloto





Ayrton Senna: relembre seis momentos marcantes na carreira do piloto

Após 24 anos de vazio, o Brasil ainda lembra com carinho os momentos marcantes de Ayrton Senna

Fotos: Divulgação | Texto: Renê Saba

Compartilhe esse conteúdo

Nem mesmo a ausência que já dura 24 anos fez o Brasil e os brasileiros esquecerem Ayrton Senna. Fã ou não do automobilismo, quem o via, se encantava. Não só pelas manobras perfeitas e por sua performance nas pistas, mas também pelo seu patriotismo. Hoje, uma nova safra de fãs ainda continua surgindo para apreciar a herança de talento do ídolo frente a um volante. Logo abaixo, a Car and Driver selecionou os seis maiores momentos de Ayrton Senna pelo automobilismo. Vamos relembrar. 

Assine a Revista Car and Driver

MÔNACO 1984

O cartão de visitas de Ayrton Senna para o mundo foi naquele fatídico GP chuvoso. O piloto fazia a sua estreia pela Toleman partindo da 13º posição para fazer fumaça nos grandes nomes da Fórmula 1 daquela época. O piloto brasileiro ignorou completamente a chuva e foi ultrapassando com facilidade quem quer que estivesse a sua frente. Na décima quinta volta, Ayrton Senna já era o segundo colocado, apenas atrás de Alain Prost. A corrida foi interrompida antes do final, e teve Prost como o vencedor. Apesar da medida controversa, foi naquele momento que o mundo soube a força do sobrenome Senna. 

PORTUGAL 1985

Em 1985, Ayrton estreou pela Lotus no Brasil, no autódromo de Jacarepaguá.  A segunda corrida da temporada era em Portugal e advinhe só: sob forte chuva. Senna não precisou de muito esforço para cravar a pole position nos treinos. A vitória também não teve maiores obstáculos para aparecer, Senna fez uma largada brilhante e venceu a prova de ponta a ponta, marcando, inclusive, a volta mais rápida da prova. Essa foi a primeira vez que o piloto brasileiro alcançou o ponto mais alto do pódio na Fórmula 1. 

 JAPÃO 1988 

Após quatro anos do marcante GP de Mônaco, Ayrton Senna disputava a sua primeira temporada como piloto da McLaren e, para se tornar campeão mundial, precisava vencer a prova em Suzuka, no Japão. Ao lado dele, na mesma equipe e, também disputando o título, estava Alain Prost. Senna teve problemas na largada da prova e caiu para a 16º posição, e para conseguir ao menos se recuperar na corrida precisaria operar um milagre sobre as quatro rodas. Na 20º volta, de forma genial, Ayrton estava em 2º colocado logo atrás do francês. Não demorou muito para Senna assumir a ponta e enfim sagrar-se campeão mundial. 

JAPÃO 1990

Pela terceira vez consecutiva Ayrton Senna e Alain Prost decidiam o título em Suzuka, no Japão. Desta vez, Ayrton chegou ao país asiático com nove pontos de vantagem sobre o francês. Para sagrar-se campeão, Senna precisava apenas somar mais pontos que o rival. Todo o esforço do brasileiro foi recompensado com a pole position espetacular, com apenas meio segundo à frente de Prost. Tão mal a corrida começou, e após 800 metros Senna e Prost se chocaram. Após a poeira do choque abaixar, Senna era consagrado o campeão daquele ano. A batida? Proposital. Ayrton deu o troco no francês, que havia feito exatamente o mesmo com ele no ano de 1989. 

Leia mais:

+ Mclaren lança carro 'hiperesportivo' inspirado em Ayrton Senna

+ Polêmica com o halo e ausência de brasileiros marcam o retorno da Fórmula 1

+ Ecclestone apoia motores elétricos para os carros da Fórmula 1

BRASIL 1991

Não faltava mais quase nada para Ayrton Senna naquela altura do campeonato. O brasileiro era um piloto recnhecido, vencedor e consagrado com dois títulos mundiais na bagagem. Existia um vazio por Ayrton nunca ter vencido no Brasil, e essa vitória veio em 1991. E de forma marcante. Senna seguiu o roteiro a risca: conquistou a pole position, teve uma boa largada e se manteve na frente. Os planos do brasileiro começaram a dar errado depois do carro manifestar um problema no câmbio, deixando o piloto apenas com a sexta marcha durante o restante da corrida. O fato é que, Ayrton esgotou-se fisicamente para manter o carro com um bom desempenho e conseguir alcançar o seu objetivo. No fim das contas, Senna cruzou em primeiro, apenas 3 segundos na frente do segundo colocado Riccardo Patrese, da Williams. O resultado? Ayrton Senna não conseguia ao menos erguer o troféu tamanho foi o seu desgaste físico naquele GP. O final da corrida no Brasil em 1991 também ficou marcado pelos gemidos de dor, misturados aos gritos de emoção quando o piloto enfim cruzou a linha de chegada. 

EUROPA 1993

Aquele ano foi marcado pela grande quantidade de recursos eletrônicos da Williams, fazendo Senna se munir apenas de talento. Na corrida realizada em Donington Park, na Inglaterra, o piloto brasileiro largou na quarta colocação. Após a largada deu tempo de Ayrton cair para a quinta posição antes de fazer história. Ao fim da primeira volta, Senna ultrapassou quatro pilotos e assumiu a ponta, e consequentemente venceu a corrida com certa folga. Esse episódio da história da Fórmula 1 ficou eternizado como "volta mágica", tamanho o talento do brasileiro para realizar tal façanha. O segundo colocado foi Damon Hill, piloto da Willians, que à época tinha um carro com maiores componentes tecnológicos. 

Quer estar por dentro de tudo o que acontece no mercado automotivo? Então não perca tempo. Peça já a edição 124 da Revista Car and Driver Brasil. Compre aqui.

 

 
 

 

 

 



Comentários