V60 desembarca no Brasil em agosto





V60 desembarca no Brasil em agosto

Nova geração da perua não vai fazer você desistir de um SUV. Mas deveria.

Fotos: Divulgação | Texto: Raphael Panaro

Compartilhe esse conteúdo

Pense rápido: v60 ou XC40? Bem, a Volvo sabe que 99% de seus clientes vão levar para casa o recém-lançado utilitário compacto de luxo – ainda mais se estiveram na mesma faixa de preço. Os SUVs se multiplicam mais que os agentes do filme Matrix. As stations, por sua vez, são escolhidas a dedo: emplacaram cerca de 450 unidades em 2017 – 1% do mercado. Mas a Volvo não está nem aí. Se você chegar em uma das 31 concessionárias e for abduzido pela estonteante perua, a empresa também vai ficar feliz. Por isso que a nova geração da V60 desembarca no Brasil em agosto em versão única por R$ 199.950. 

O valor é R$ 5 mil mais caro que a mesma versão do XC40, Momentum, vendida por aqui. Nós da C/D somos suspeitos para falar, porém, no primeiro contato, você vai perceber que vale a pena gastar um pouco mais. São 4,76 m de hipnose. Capô longo, rodas grandes, caixas de roda robustas e para-choque agressivo se misturam aos modernos e expressivos faróis ao estilo Martelo de Thor. As lanternas vindas do XC60 completam a nova linguagem estética da Volvo em uma das carrocerias mais charmosas por natureza.

E a perua não impressiona só no olhar. A V60 é feita sobre a plataforma SPA (Scalable Product Architecture), usada no XC60 e também na linha 90. Isso possibilita a station ser ainda mais versátil. Ela é maior que as rivais, Audi A4 Avant e Mercedes-Benz Classe C300 Estate, em todas as dimensões. A distância entre-eixos de 2,87 m é 9,6 cm maior que a geração anterior e 9 cm menos que a irmã maior, V90.

O espaço traseiro leva duas pessoas com conforto. O terceiro ocupante sofre com o túnel central muito alto e os ombros vão ficar colados nos outros passageiros. Fomos até a Espanha dirigir a V60 na versão Inscription, que traz o motor T6, quatro cilindros 2.0 turbinado e com compressor mecânica para ajudar em baixas rotações, com 310 cv, 40,8 mkgf, transmissão automática de oito marchas e tração integral. Vale lembrar que a configuração que vem ao Brasil é a Momentum T5, o 2.0 somente turbo e calibrado para 254 cv e 35,7 mkgf de torque, tração dianteira e alguns itens de série a menos. Sem problemas. Em futuro não muito distante a Volvo também vai comercializar a versão híbrida T8, mais potente e com tração nas quatro rodas.


CALMO
Nas sinuosas e inclinadas estradinhas nos arredores de Barcelona pudemos conferir a qualidade dinâmica proporcionada pela moderna arquitetura. Os 310 cv mostram sua força na primeira fincada de pé no acelerador. O torque aparece já a 1.600 rpm e faz o velocímetro do cluster digital de 9” subir rapidamente. Não é difícil ser pego em velocidades impublicáveis sem se dar conta. Ainda mais pela suavidade e belo isolamento acústico. O ambiente fica bem calmo. O câmbio faz trocas rápidas e precisas – faltaram só os paddle-shifts atrás do volante para uma pegada ainda mais esportiva. A V60 mergulha com decisão nas curvas das apertadas estradas catalãs. A direção é responsiva, mas poderia ser um bocadinho mais pesada para melhorar a sensação de controle. Nem no modo Dynamic (o mais agressivo dos quatro ofertados) faz o volante ficar mais consistente. Nas manobras é como passar faca quente na manteira.


Em outra parte das lindas, longas lindas rodovias espanholas foi a vez de explorar a parafernália eletrônica semiautônoma – marca registrada da Volvo. O controle de cruzeiro adaptativo conjugado com o Pilot Assist e o alerta de mudança involuntária de faixa torna o motorista praticamente um passageiro. Ele freia, acelera, para, esterça o volante em pequenas curvas (entre velocidades de 65 km/h e 200 km/h) e coloca o carro de volta na faixa de rodagem sozinho. Já o sistema de Mitigação de Pista Oposta aplica frenagem automática para reduzir o dano de colisão com um veículo que se aproxima na contramão. Seu funcionamento se dá entre 60 km/h e 140km/h.

BRASIL
Enquanto a perua dirige por mim é possível notar o belo acabamento do interior com materiais de qualidade e impecável finalização. No Brasil, o V60 terá quatro tipos de tonalidades para a cabine. O multimídia Sensus, uma espécie de tablet de 12,3”, é de série. Além de aliar todos os comandos de entretenimento, comodidade e configurações do carro, ele agrega modernidade ao interior e dá um ar minimalista ao habitáculo. Sem falar no que é simples de manusear. Com poucos dedilhos dá para encontrar a função desejada. A V60 Inscription que dirigimos na Espanha incorpora alguns itens que não estarão na versão Momentum importada ao Brasil. Câmera 360º, teto solar, rodas de liga leve de 19”, o som de grife e os ajustes do ar-condicionado para os ocupantes traseiros ficarão de fora da lista de equipamentos. Quando a V60 aterrissar no Brasil daqui a dois meses os compradores de SUVs podem não titubear ao preferir dirigir mais perto do céu. Afinal, tudo é uma questão de escolha. Mas a perua pode ser a escolha certa.

EM NÚMEROS*
PREÇO: R$ 199.950
MOTOR: Dianteiro, transv., 4 cil., 2.0, turbo, gasolina
POTÊNCIA: 254 cv a 5.500 rpm
TORQUE: 35,7 mkgf a 1.500 rpm
TRANSMISSÃO: Aut., 8 marchas, tração dianteira
SUSPENSÃO (D/T): Independente
FREIOS (D/T): Discos ventilados
RODAS E PNEUS (D/T): 235/45 R18
DIMENSÕES: 4,76 m (comprimento) / 2,87 m (entre eixos)/ 1,42 m (altura) / 1,85 m (largura)
PESO: 1.729 kg
PORTA-MALAS: 529 litros
TANQUE: 55 litros

*Dados de fábrica



Comentários